quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Contadora de Filmes de Hernán Rivera Letelier (Editorial Presença)


"Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação” Charles Chaplin

Este livro é um caso a merecer algum relevo nesta coluna. É um livro pequeno, uma espécie de conto alargado. Mas é muito bom. Como na maior parte dos bons livros, há uma boa história (ou várias) ou pelo menos uma boa ideia. Este é bom em ambos os aspetos. É um conceito simples que trás  consigo uma história aparentemente singela, mas que se transforma num muito bom livro, por arte da escrita de H.R. Letelier, a quem não conhecia, mas a que vou ficar particularmente atento a partir de agora. Uma pequena comunidade mineira Chilena descrita nas suas mais pequenas particularidades. Um retrato da vida dos menos afortunados e daquilo que podem à respetiva escala de pobreza serem considerados os seus pequenos luxos. Uma história bem contada sobre os contadores de histórias eles próprios. Tenho aqui dito mais de uma vez que há uma parte assinalável dos grandes romancistas por que tenho admiração que são antes de mais nada excelentes contadores de histórias. Este é mais um caso a juntar a essa conta que venho somando em muitas horas de leitura. Há algo na escrita de Hernan R. Letelier que remete para algumas características tipicamente sul-americanas na forma de escrever. Não é exactamente realismo mágico, mas há uma certa musicalidade e um determinado ritmo que anunciam esse continente. Ainda por cima foi um daqueles casos de completo acaso. Não foi um livro que me tivesse sido recomendado ou de que tivesse conhecimento antecipado, nem do livro nem do autor. E são muito mais as vezes em que o resultado não é do meu inteiro agrado do que estes em que a surpresa o é efetivamente. Assim, acompanhemos a maravilhosa história de Maria Margarita (rebatizada como Hada Delcine, tal como no cinema) e de todos que a rodeiam. Vale realmente a pena. E sabe a pouco, nitidamente a pedir mais leituras deste autor que entra para a lista das minhas buscas noutras estantes. Boa semana e …. Boas Leituras!

Na Mesinha De Cabeceira:
Kyoto de Yasunary Kawabata (Dom Quixote)
Guimarães no Século XX Vol. II de Raul Rocha (Povo de Guimarães)
Rever Portugal de Jorge de Sena (Guimarães)
O Escrivão Público de Tahar Ben Jelloun (Cavalo de Ferro)
Uma Mentira Mil Vezes Repetida de Manuel Jorge Marmelo (Quetzal)
O Homem Que Gostava de Cães de Leonardo Padura (Porto Editora)
O Ano do Dilúvio de Margaret Atwood (Bertrand)


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

The 50 Coolest Books Ever

Isto pede claramente comentários!!!!
A seguir a uma lista de compras, fica aqui mais uma lista de possibilidades!
Dos 50 já li 11....fico sempre com àgua na boca com listas destas......

retirado do site : shortlist.com

THE 50 COOLEST BOOKS EVER

Away with thee, Harry Potter

Films you can quote for cheap giggles down the pub; records (vinyl, natch) earn you kudos among a select coterie of like-minded obsessives; but nothing – absolutely nothing – says understated cool (always the coolest cool) like a well-thumbed copy of A Confederacy of Dunces.
Want in on the action? Get yourself down to your local bookstore immediately and get acquainted with the following 50 tomes. Gallons of cool guaranteed.
Click on each picture for more information
  • American Pyscho – Bret Easton Ellis (1991)
  • Less Than Zero – Bret Easton Ellis (1985)
  • A Clockwork Orange – Anthony Burgess (1962)
  • On The Road – Jack Kerouac (1951)
  • Naked Lunch – William Burroughs (1959)
  • Catch 22 – Joseph Heller (1961)
  • Slaughterhouse Five – Kurt Vonnegut (1969)
  • Gravity’s Rainbow – Thomas Pynchon (1973)
  • Jimmy Corrigan: The Smartest Kid on Earth – Chris Ware (2000)
  • The Dice Man – Luke Rhinehart (1971)
  • Generation X – Douglas Coupland (1991)
  • A Confederacy of Dunces – John Kennedy Toole (1980)
  • Fear and Loathing in Las Vegas – Hunter S Thompson (1971)
  • Everything is Illuminated – Jonathan Safran Foer (2002)
  • A Heartbreaking Work of Staggering Genius – Dave Eggers
  • Fear of Flying – Erica Jong (1973)
  • Crash – JG Ballard (1973)
  • Money – Martin Amis (1984)
  • If on a Winter’s Night a Traveller – Italo Calvino (1979)
  • The Sun Also Rises – Ernest Hemingway (1926)
  • Perfume – Patrick Suskind (1985)
  • Neuromancer – William Gibson (1984)
  • Factotum – Charles Bukowski (1975)
  • The Wind-Up Bird Chronicle – Haruki Murakami (1997)
  • Atlas Shrugged – Ayn Rand (1957)
  • Trainspotting – Irvine Welsh (1993)
  • Black Hole – Charles Burns (1995)
  • One Flew Over the Cuckoo’s Nest – Ken Kesey (1962)
  • The Wasp Factory – Iain Banks (1984)
  • The Fountainhead – Ayn Rand (1943)
  • Morvern Callar – Alan Warner (1995)
  • Nineteen Eighty-Four– George Orwell (1949)
  • Fight Club – Chuck Palahniuk (1996)
  • The Secret History – Donna Tartt (1992)
  • Middlesex – Jeffrey Eugenides (2002)
  • In Cold Blood – Truman Capote (1966)
  • The Crying of Lot 49 – Thomas Pynchon (1966)
  • Alan Moore – Watchmen (1986)
  • Diary – Chuck Palahniuk (2003)
  • Ghost World – Daniel Clowes (1993)
  • Bonfire of the Vanities – Tom Wolfe (1987)
  • Last Exit to Brooklyn – Hubert Selby Jr (1964)
  • Howl – Allen Ginsberg (1955)
  • The Dharma Bums – Jack Kerouac (1958)
  • The Great Gatsby – F. Scott Fitzgerald (1925)
  • Blood Meridian – Cormac McCarthy (1985)
  • The Corrections – Jonathan Franzen (2001)
  • The Amazing Adventures of Kavalier and Clay – Michael Chabon (2000)
  • American Tabloid – James Ellroy (1995)
  • Underworld - Don DeLillo (1997)