quinta-feira, 25 de março de 2010

A ESTIRPE de Chuck Hogan e Guillermo del Toro (SUMA)

Desde que alberguemos uma única vez o Mal, este não volta a dar-se ao trabalho de pedir que lhe concedamos a nossa confiança” Franz Kafka

Este é de facto um livro de puro entretenimento. Mais, sendo escrito numa parceria de Chuck Hogan com o realizador Guillermo del Toro de cuja filmografia podemos destacar “O Labirinto do Fauno”. Filme que recebeu uma nomeação para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2007, entre outras realizações do género terror/fantástico. Este livro é uma leitura que encaixa na moda do universo dos vampiros, que por estes dias invade as prateleiras das livrarias, as telas do cinema e televisão. E por falar em moda, é também o primeiro de uma trilogia (há também uma certa moda de trilogiar nestes tempos ultimos). Assim, após este primeiro capitulo “The Strain” no original, seguir-se-à, previsivelmente em Outubro, “The Fall”, o segundo andamento da obra. O livro em concreto, é um livro-argumento, claramente uma estória destinada a acabar no grande ecran, e contada, com as pausas e arranques cinematograficamente exigiveis. Tem no entanto vários pontos a favor, o primeiro é o começo do livro, que introduz com muita destreza um sentimento de desconforto e angústia no leitor, ao descrever a aterragem de um avião em Nova Iorque com todos os passageiros mortos a bordo. Bem, mortos é como quem diz... O segundo ponto a favor, na minha opinião, é que se cria um novo universo no que diz respeito a tudo o que julgamos saber sobre os vampiros. A estória mistura habilidosamente o imaginário literário existente com uma nova abordagem mais de tecno-terror, com a difusão de um virus (a famigerada “estirpe”) que transforma os humanos em vampiros. A metamorfose operada por intermédio do virus cria um novo conceito de agente do Mal, e uma nova forma de o combater. Para quem aprecia um par de horas bem passadas a ler, é um livro aliciante, com um ritmo constante e de leitura compulsiva. Não é nenhuma obra prima, mas também não se dá o dinheiro por mal empregue. É um livro para entreter, e entretém, que é que se lhe pede. O que, no meio de tanta oferta do género, já é um grande cumprimento.Boas Leituras!

PARA A SEMANA: AFTER DARK – OS PASSAGEIROS DA NOITE de Haruki Murakami (Casa das Letras)NA
MESINHA DE CABECEIRA:
Entram:
OS HOMENS QUE ODEIAM AS MULHERES Millennium I de Stieg Larsson (Oceanos)
A RAPARIGA QUE SONHAVA COM UMA LATA DE GASOLINA E UM FÓSFORO Millennium II de Stieg Larsson (Oceanos)
A RAINHA NO PALÁCIO DAS CORRENTES DE AR Millennium III de Stieg Larsson (Oceanos)
Continuam:
INÉDITOS de Antoine de Saint Exupéry (Casa das Letras)
BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA de Pablo de Jevenois (Esquilo)
O MONTE DOS VENDAVAIS de Emily Bronte
CRÓNICA DO PÁSSARO DE CORDA de Haruki Murakami (Casa das Letras)
OS ANAGRAMAS DE VARSÓVIA de Richard Zimmler

Sem comentários: