quinta-feira, 15 de novembro de 2012

DIÁRIO DE INVERNO de Paul Auster (ASA)


“Se queres um escudo impenetrável, permanece dentro de ti mesmo” Henry Thoreau

Para inaugurar um novo ciclo desta coluna semanal de sugestões que tem a partir de agora o patrocínio e contributo da FNAC, um titulo de um autor que nem sempre é consensual para mim. Que há coincidências é bem verdade, basta atentar no que aqui afirmava a semana passada a respeito das biografias e autobiografias, para se ver que as regras são cada vez menos rígidas e os hábitos cada vez menos o que eram. O livro desta semana, é um diário autobiográfico. E, se é verdade que o género me tem sido um pouco alheio, não é menos verdade que ainda hoje me foi aconselhada uma leitura de uma biografia por um amigo. Mercado não faltará certamente. Mas, e para voltar ao objeto desta coluna, e para reafirmar o seu propósito, não estaria aqui a falar desta obra se ela não me tivesse agradado, e tivesse também dúvidas sobre se agradaria a mais alguém. É uma obra muito, muito interessante. Pode sempre perguntar-se se trata de um verdadeiro diário, se as memórias contadas são as memórias vividas, mas tal como no caso da crónica anterior sobra a obra de Garcia Márquez, estas são excelentemente contadas. Num registo de pequenos fragmentos, tal como as entradas num diário, de forma cronológica e atravessando todos os sítios onde Auster residiu, até se fixar na sua recorrente paisagem de Brooklyn, vamos conhecendo aquilo que o homem por trás do autor nos entende mostrar. E, a fazer fé na veracidade dos relatos, mostra bastante. É um retrato que entra intimidade adentro. Das relações com a família, com as namoradas, amigos, experiencias de vida, relatos mais ou menos detalhados da maturação sexual, de tudo se vai falando. De toda uma construção de uma carreira aqui se escreve. E lê-se com muito prazer. Vou-me repetir, o que aliás não farei certamente pela última vez a respeito deste autor. Paul Auster nem sempre escreve a meu agrado, mas do que gosto, tenho que dizer que gosto muito. E este Diário é um dos raios de sol deste meu particular inverno de leituras. Para quem gosta do autor é fundamental. Um “Must reed”. Para quem não conhece ou gosta…. Acreditem que vale a pena tentar. Boa semana e, … Melhores Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
ULTIMO ACTO EM LISBOA de Robert Wilson (D. Quixote)
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
TEIA DE CINZAS de Camilla Lackberg (D. Quixote)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
OS COMBOIOS VÃO PARA O PURGATÓRIO de Hernán Rivera Letelier (Ulisseia)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
AXILAS & OUTRAS HISTÓRIAS INDECOROSAS de Rubem Fonseca (Sextante Editora)
JOSÈ de Rubem Fonseca (Sextante Editora)


Sem comentários: