quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

O COLECIONADOR DE MUNDOS de Ilija Trojanow (Arkheion)


“O mundo é cego, e tu vens exactamente dele” Dante Alighieri


Esta sugestão vai carregadinha de colesterol J. No meio desta época festiva onde estou certo muitos dos presentes foram livros, fui lendo este que que agora vos aconselho. Apesar de o ambiente económico estar com toda a certeza a afetar as vendas de editores e livreiros, o Natal é sempre um momento especial onde, com maior ou menor dificuldade sempre se encontra um esforço para comprar aquele livro que trazemos debaixo de olho. Há muitas formas de se escrever um grande livro, uma delas e nem sempre a mais fácil é escolher uma boa história e um personagem que tenham existido de facto. No sentido de que a realidade ultrapassa muitas vezes a ficção, há nas histórias que se contam sobre os grandes homens um fascínio particular. “O Colecionador de Mundos” de Ilija Trojanow, agora editado entre nós pela Arkheion, não é nem pretende ser uma biografia típica. É, muito mais um romance que aproveita parte do genial percurso de Sir Richard Francis Burton, um explorador inglês do século XIX, que entre outros feitos é conhecido pelas traduções de obras como “As Mil e Uma Noites” e o “Kama Sutra”. De entre uma vida rica de viajante com muitas peripécias e aventuras, o autor revela os dias (ficcionados) de Richard F.Burton na India, na peregrinação que faz a Meca disfarçado de muçulmano e explorando a Africa, abrindo caminho à descoberta da nascente do Nilo.  É uma obra que revela uma escrita madura e com um olhar que reflete uma visão sobre toda a atmosfera dos locais por onde a personagem se move e como estas diferentes paisagens e gentes convergem numa história de vida absolutamente ímpar. É um excelente livro, bem construído, melhor escrito e com um tema extraordinário. Na próxima oportunidade, juntem também este “mundo” à vossa coleção. Vale bem a pena … Boas Leituras e Votos de um Excelente 2013, cheio de livros!!! J

Na Mesinha De Cabeceira:
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
O PROBLEMA ESPINOSA de Irvin D. Yalom (Ed. Saída de Emergência)
JOSÈ de Rubem Fonseca (Sextante Editora)


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

UMA MORTE SÚBITA de J.K.Rowling (Editorial Presença)


“Evitai ter vizinhos, se quereis viver em paz com eles” Alphonse Karr


Chegamos hoje a uma espécie de marco numérico da publicação desta coluna. Cento e cinquenta sugestões de livros até ao momento. É sempre positivo quando uma ideia nossa se vê concretizada. E neste caso, com pequenas vitórias no propósito que conduziu à publicação destas pequenas indicações semanais de leitura. Com a publicação (nem sempre regular, é a verdade) no blogue com o mesmo nome, vi com grande espanto meu que as principais casas de edição livreira em Portugal me começaram a enviar informação sobre as suas mais recentes publicações e lançamentos. Tive e mantenho, por conta desta coluna contactos com outros leitores, portugueses e não só,  que, sempre que podem me enviam as suas próprias sugestões de leitura, e uma ou outra vez, me fazem saber da sua concordância ou discordância do que por aqui vou indicando. Todo este processo culminou no facto de a Fnac de Guimarães patrocinar esta coluna, sem que, e isso é também excelente, seja de qualquer forma obrigado a escrever sobre os livros que lá vou escolher. Enfim, um caminho que me tem dado muitas alegrias e que quero aqui agradecer a todos os que me vão acompanhando. Relativamente à sugestão desta semana volto a um registo de leituras mais “de moda”, ou pelo menos a um lançamento mais recente no nosso mercado. J.K. Rowling dispensará apresentações para toda a gente que lê. É a “mãe” da saga “Harry Potter”, que, e já por aqui o disse, me ofereceu largas horas de puro prazer de ler. Este “Uma morte súbita”, no original “A Casual Vacancy” ( e que me leva a perguntar porque não uma tradução um pouco mais literal, fazia mais sentido, mas temos essa enorme e singular tradição de não só traduzir como de transformar títulos originais em originais portugueses, veja-se o cinema…), dizia, esta livro trata de uma morte de um conselheiro municipal ou de junta de freguesia (não existe equivalente no nosso sistema autárquica), cuja posição no voto favorável à manutenção de uma área de habitação social na pacata vila de Pagford, vai desencadear uma efervescência social que tem contornos muito particulares. A descrição da paisagem, rural e urbana, a composição das personagens e o jogo de conflitos entre elas, entre os que são pró-Fields e ou que são contra, entre adolescentes e pais, entre maridos e mulheres e toda a descrição de uma atmosfera social muito concreta fazem deste um livro que vale a pena ler. E não só pela fama da autora, se bem que, não é possível esconde-lo, é um dos fatores que primeiro motiva para a leitura, a curiosidade de saber se a escrita de Rowling se confirma neste registo menos “mágico”. Vão por mim, é muito interessante e tem aquele “je ne sais quoi” que nos faz ler com prazer da primeira à ultima pagina. Para todos um Excelente Natal, com muitos livros no sapatinho e, … Boas Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
O COLECIONADOR DE MUNDOS de Ilija Trojanow (Arkheion)
A CIVILIZAÇÃO DO ESPECTACULO de Mario Vargas Llosa (Quetzal)
O PROBLEMA ESPINOSA de Irvin D. Yalom (Ed. Saída de Emergência)


AXILAS & OUTRAS HISTÓRIAS INDECOROSAS de Rubem Fonseca (Sextante Editora)

“O corpo é um parasita da alma” Jean Cocteau

De regresso à leitura de um dos meus favoritos, Rubem Fonseca. Penso não exagerar minimamente se afirmar que este autor se está lentamente a afirmar como uma referência literária para muitos amigos e companheiros de leituras. O que vou ouvindo e conversando sobre livros em trânsito noutras mesinhas de cabeceira confirma-o. Pois mais uma vez aqui venho sugerir uma obra que merece com toda a certeza ser lida e difundida. O registo aqui, é, e aí também está em linha com muitas das obras que tenho tido o prazer e o privilégio de ler recentemente, o conto. Em mais este género Rubem Fonseca prova a sua mestria e reafirma o seu caracter de escritor inconfundível. Ao longo de dezoito contos mais ou menos curtos, vamos mergulhar numa viagem às pulsões mais recônditas do ser humano. Muitas vezes cruel, muitas vezes de um grafismo violento, Rubem Fonseca, revela-nos em cada uma destas personagens simultaneamente marginais e prováveis um mundo de obsessões. A morte, a velhice, a degradação física e moral, a violência gratuita e inexplicável fazem parte de um conjunto de pequenas histórias, que muito mais do que indecorosas, são de leitura compulsiva. Escrito de formas diversas, com recurso a várias técnicas narrativas e a narradores da primeira à terceira pessoa, vamos sempre aprendendo qualquer coisa mais com as disposições e processos mentais de um leque de personagens singulares. Um exercício de estilo que, felizmente se reconhece como Rubem Fonseca puro e duro. Lê-se de enfiada, de forma quase hipnótica. Um excelente recurso para oferta na época festiva que se avizinha. Para os amantes da obra de Rubem Fonseca é mais um tiro na “mouche”. Para os que não conhecem, é uma boa forma de ir entrando neste universo ímpar. Boa semana e, … Melhores Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
O COLECIONADOR DE MUNDOS de Ilija Trojanow (Arkheion)
A CIVILIZAÇÃO DO ESPECTACULO de Mario Vargas Llosa (Quetzal)
UMA MORTE SÚBITA de J.K.Rowling (Editorial Presença)
O PROBLEMA ESPINOSA de Irvin D. Yalom (Ed. Saída de Emergência)
JOSÈ de Rubem Fonseca (Sextante Editora)


OS COMBOIOS VÃO PARA O PURGATÓRIO de Hernán Rivera Letelier (Ulisseia)


“Viajar é nascer e morrer a todo o instante.”Vitor Hugo

Mais uma semana e mais um excelente momento de leitura. Uma vez mais seguindo o sábio conselho do meu querido Amigo Miguel Bastos, que tantas e tão boas pistas me tem dado nos últimos tempos. O panorama literário sul-americano, é, a exemplo do continente ele próprio, de uma riqueza inesgotável. Dessa zona tenho recebido pela leitura alguns dos meus melhores momentos de prazer em ler. Não é meu costume misturar numa crónica sobre um livro e um autor determinado as referências que tenho do seu país ou do seu estilo de escrita, o que neste caso é ainda muito mais fácil. Hernán Rivera Letelier, é, como todos os grandes escritores um estilo em si mesmo. Não se confunde. Apesar de algumas paisagens e personagens poderem de alguma forma sequer enquadradas ou integradas num universo local comum, há na obra deste autor uma voz muito própria e que se destaca. Este livro, que não é sequer uma obra muito extensa, é uma maravilha de se ler. Tem como pano de fundo uma viagem. Uma viagem de comboio de quatro dias pelo deserto de Atacama. E é uma viagem ao universo interior de riquíssimas personagens que se cruzam, conhecem e confrontam nesse pequeno microcosmos romântico que é o comboio. Uma história de gentes diferentes num trajeto comum. Um retrato de uma realidade dura, contada com alguma crueza aqui e ali, mas sempre temperada com um humor suave e inteligente que nos faz querer ler e saber mais da origem e destino destes passageiros acidentais. Já aqui tinha sugerido “A contadora de histórias” deste autor que na altura muito me surpreendeu e impressionou de forma positiva. Este “Os comboios vão para o Purgatório” é a confirmação da certeza que tenho de ter de ler mais da obra de Hernán Rivera Letelier. E não é por acaso que já está em lista de espera o “Miragem de Amor com Banda de Música”. Se puderem façam-no também. Vale mesmo a pena ler.
Boa semana e, … Melhores Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
AXILAS & OUTRAS HISTÓRIAS INDECOROSAS de Rubem Fonseca (Sextante Editora)
JOSÈ de Rubem Fonseca (Sextante Editora)