quarta-feira, 3 de abril de 2013

PELA ESTRADA FORA (O ROLO ORIGINAL) de Jack Kerouac (Relógio d´Água)


“O viajante ainda é aquele que mais importa numa viagem.” André Suarés

“Pela Estrada Fora”, ou, talvez mais conhecido pelo seu título original “On the Road” é uma obra que integra sistematicamente a quase totalidade das listas dos 100 melhores livros, ou dos 100 livros fundamentais do século XX. Só por isso merece a pena ser lido. Esta edição tem contudo um interesse e um valor acrescido. Trata-se da versão original da obra. Concretizando: Jack Kerouac escreveu este livro no espantoso prazo de três semanas, (alegadamente com recurso a vários estimulantes). Isto em 1951. As recusas por parte das editoras, sucederam-se até 1957, quando o livro foi publicado pela primeira vez. O certo é que o livro que é então publicado não é exactamente o mesmo que Kerouac escreveu. É um rescrito (ou melhor uma obra corrigida e expurgada de alguma crueza do original, que à época, e segundo os padrões morais vigentes não eram aceitáveis) do seu editor Malcom Cowley, que depura o estilo original. Esta edição da Relógio d´Àgua, é, ao contrário, a reprodução do “rolo original” (tal como figura em subtítulo). Jack Kerouac, escreveu este livro num rolo, em continuo, num processo de criação livre que deixa verter as ideias quase sem filtro, directamente do processo mental para o papel. A própria mudança de folhas de papel na máquina de escrever implicaria a interrupção do fluxo de ideias que se pretendia livre. Mas o interesse na obra não se esgota claramente nestes pequenos “fait-divers” que, muitas vezes, se sobrepõem ao real valor das obras. “Pela Estrada Fora”, torna-se, uma espécie de panfleto de uma geração. Torna-se uma referência para a chamada “geração beat” e influencia claramente a sociedade juvenil da época. As personagens, Sal Paradise e Dean Moriarty, na sua, (e talvez numa das nossas, mais famosas viagens), cruzam os Estados Unidos de carros numa jornada de descoberta e de todas as liberdades. É bom de ler. Espero que gostem. Boa Semana e Boas Leituras!!! J

Na Mesinha De Cabeceira:
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
A PIADA INFINITA de David Foster Wallace (Quetzal)
ARCO-IRIS DA GRAVIDADE  de Thomas Pynchon (Bertrand)
A DIVINA COMÉDIA de Dante Alighieri (Quetzal)
A CONSCIÊNCIA E O ROMANCE de David Lodge (ASA)
UM HOMEM DE PARTES de David Lodge (ASA)


Sem comentários: