terça-feira, 8 de outubro de 2013

UNHA COM CARNE de Elmore Leonard (Teorema)

“Ladrão: nome vulgar para um individuo com sucesso em obter a propriedade dos outros” Ambrose Bierce

Ando em fase de novidades. Na passada semana John Fante, e esta na verdade, o meu primeiro Elmore Leonard. Provavelmente o impulso final para a leitura aconteceu com a infeliz noticia do seu falecimento no passado mês de Agosto. A sua longa e profícua carreira de escritor, com mais de quarenta romances e vários argumentos cinematográficos, a par de muitas e excelentes referências, quer da critica, quer de amigo, andavam a tornar esta leitura num adiar penoso para mim. É, para quem vem acompanhando estas pequenas indicações de leitura, bem sabido que uma das minhas principais e favoritas formas de entretenimento literário o policial, nas suas mais diversas vertentes. Desde o clássico, descubra o autor do crime, até aos thrillers de raiz mais diversa. Este “Unha Com Carne” é um desses thrillers, com uma história onde entram, ao que é apregoado na badana do livro, personagens de obras anteriores, onde avulta Jack Foley, um assaltante de bancos, que aqui se encontra a cumprir um pena de prisão de trinta anos. Como é hábito, não antecipo a história, não gosto de estragar o prazer de descobrir (ou mesmo de descobrir que se não gosta), mas tenho aqui que reconhecer, que tudo o que havia lido e ouvido sobre Elmore Leonard se confirma para melhor. É uma escrita que nos transporta para uma realidade palpável, lê-se como se poderia ver, em registo quase cinematográfico. Com um ritmo vertiginoso e sempre coerente, e, se me é possível dizê-lo, com uma das melhores formas de apresentação de diálogos que tenho encontrado. É possível, pelos diálogos das personagens, desenhar todo o cenário (físico e mental) que acompanha a obra. E, como em muitos dos autores que se foram tornando dos meus prediletos, há um registo irónico e por vezes niilista que perpassa a obra, que, a mim, me agrada imenso. Parece-me bem, que, a exemplo de alguns outros, terei que cavar mais fundo na obra deste Senhor. Gostei e recomendo. Como é o primeiro (certamente de muitos), não tenho ainda termo de comparação, mas não perde a obra pela demora, dentro em breve aqui voltarei, seguramente para, falar de mais Elmore Leonard. Boa Semana e Boas Leituras!!!

Na Mesinha De Cabeceira:

MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
ARCO-IRIS DA GRAVIDADE  de Thomas Pynchon (Bertrand)
A CONSCIÊNCIA E O ROMANCE de David Lodge (ASA)
C de Tom McCarthy (Editorial Presença)
A QUESTÃO FINKLER de Howard Jacobson (Porto Editora)
O JOGO DO MUNDO de Julio Cortázar (Cavalo de Ferro)
DIÁRIO PARA ELIZA de Lawrence Sterne (Antígona)
A RAPOSA AZUL de Sjón (Cavalo de Ferro)


1 comentário:

Sara disse...

Eu acho que nós sempre temos que ter em conta essas disciplinas porque ela se move muito dinheiro e alimentar muitas pessoas neste país, espero que tenhamos a oportunidade de continuar a fazer esse tipo de coisa, enquanto eu trabalho em la caballeriza