terça-feira, 25 de maio de 2010

A FORMA DA ÁGUA de ANDREA CAMILLERI (DIFEL)

“O instinto é o olfacto da mente” Delphine de Girardin



Mais uma excelente sugestão de dois bons amigos. Andrea Camilleri é um escritor italiano, criador de uma personagem íconica, o Inspector Montalbano. A cidade siciliana de Vigáta, criada à semelhança da cidade do autor, tem tudo aquilo que esperamos de um ambiente siciliano típico. O Inspector Montalbano é uma criação que mistura um pouco o célebre Maigret com Pepe Carballo, o mítico investigador criado por Manuel Vasquez Montalban. Sou, de sempre um aficionado de Pepe Carballo, desde o tempo em que num diário português se publicavam as suas aventuras por fasciculos. O Inspector Montalbano é uma personagem interessantíssima também, num registo policial urbano que tem mais de original do que è primeira vista este entrecruzar de referência litarárias pode fazer supor. Este livro em particular é um bom exemplo e uma excelente primeira entrada nessa atmosfera particular que é o crime na Sicilia. Há uma galeria de figuras muito bem retratadas e a maneira de ver e de viver siciliana é-nos oferecida por um escritor com grande sagacidade na análise dessa sociedade tão marcada por características e estereotipos que por vezes nos são desfeitos.”A Forma da Agua” é um relato de um crime especial, há uma morte de um politico influente, que levanta suspeitas a Montalbano, que contra as pressões das mais importantes figuras do meio politico e judicial, adia a conclusão do inquérito para poder chegar à verdade do sucedido. É um crime sem assassino, mas onde todos parecem, e são, de certa forma culpados. No final não há sentença nem prisões, mas, a culpa atinge todos e o castigo aparece, nem sempre da forma que seria de esperar. É o relato de uma morte e das suas circunstâncias, revelada detalhe após detalhe, atravez do instinto de Montalbano. É um policial bem estruturado, interessante e uma personagem a fixar na galáxia dos heróis do género. Lê-se bem, de forma rápida e prende a atenção do principio ao fim. Como se costuma dizer, fiquei cliente, e já tenho prometidos outros exemplares para continuar a entrada em mais este pequeno mundo. Recomendo com entusiasmo para as férias que se avizinham. Boas Leituras!

PARA A SEMANA: CEM ANOS DE SOLIDÃO de Gabriel García Márquez (D. Quixote)

NA MESINHA DE CABECEIRA:

Continuam:

CADERNO AFEGÃO de Alexandra Lucas Coelho (Tinta da China)

ESCRÍTICA POP de Miguel Esteves Cardoso (Assírio & Alvim)

INÉDITOS de Antoine de Saint Exupéry (Casa das Letras)

CRÓNICA DO PÁSSARO DE CORDA de Haruki Murakami (Casa das Letras)

OS ANAGRAMAS DE VARSÓVIA de Richard Zimmler


Sem comentários: