quarta-feira, 27 de junho de 2012

A PAIXÃO DO POVO (História do Futebol em Portugal) de João Nuno Coelho e Francisco Pinheiro (Edições Afrontamento)


“Tudo quanto sei com maior certeza sobre a moral e as obrigações dos homens devo-o ao futebol” Albert Camus


Vários fatores concorrem para a sugestão desta semana ser esta em particular. Em primeiríssimo lugar o facto de um dos autores ser um dos meus melhores amigos e a quem estou ligado por laços de várias naturezas. O João Nuno Coelho, sociólogo com obra extensa sobre o fenómeno futebolístico é também agora um Vimaranense, facto no qual julgo ter uma pequena parcela de responsabilidade, se me permitem a imodéstia. Tem várias obras publicadas sobre as quais aqui falarei em futuras oportunidades. Se é estranho que nunca aqui tenha referido esta obra excecional e que é por muitos considerada como uma espécie de “Bíblia do Futebol” em Portugal, isso tem uma explicação e um motivo. Esta coluna tem como regra (que admite exceções que o mereçam, como é claramente o caso) o falar de livros que tenho lido recentemente ou leituras mais ou menos antigas que entendo serem merecedoras de atenção e destaque. Este livro, que, em cerca de 700 páginas traça a história do Desporto Rei em Portugal, é um livro que se vai lendo e consultando à medida que se entende verificar factos ou pela curiosidade que este desporto desperta nos adeptos, nos quais me incluo sem qualquer reserva. É uma abordagem global e quase exaustiva de factos, números e episódios que constituem o trajeto deste desporto desde a sua fundação até à modernidade. A linguagem é acessível e versa muitos acontecimentos que nos ajudam a entender a formação e consolidação do futebol entre nós nos moldes em que o vivemos hoje em dia. É certo também que o momento atual, em que a Seleção Portuguesa se encontra a disputar o Campeonato da Europa 2012 ( e neste preciso momento em que se encontra qualificada para disputar as meias finais contra a Seleção de Espanha ) contribui significativamente para esta sugestão. É uma obra excecional a todos os títulos, mesmo o próprio livro enquanto objeto é extraordinariamente bem conseguido, e, tenho a certeza, merece bem, honras de destaque em qualquer estante que se preze. De quem goste de futebol, de livros, ou de ambos como felizmente é o meu caso. Fundamental e obrigatório, nada menos que isso é como me parece ser o facto de possuir esta obra. Para além do orgulho imenso em ter amigos que nos enriquecem assim. Todos os dias. Como informação final de interesse apenas pessoal o facto de nos termos conhecido, eu e o João Nuno, numa enorme e saudável discussão sobre futebol que nos trouxe até onde estamos hoje. Termino pedindo desculpa ao Francisco Pinheiro por não dar o relevo que ele merece na co autoria da obra, mas, no futebol e na vida as coisas são sempre um bocadinho assim. Temos de fazer escolhas. De qualquer modo um abraço e o meu e de muitos outros, obrigado pela obra. Força Portugal!!! Boa Semana e… Melhores Leituras! J
Na Mesinha De Cabeceira:
Kyoto de Yasunary Kawabata (Dom Quixote)
Rever Portugal de Jorge de Sena (Guimarães)

1 comentário:

O autor deste blog, João Nuno Coelho disse...

Que grande honra e prazer é fazer parte desta grande Estante Acidental, que me habituei a frequentar assiduamente e da qual sou grande admirador. Obrigado, amigo Ricardo, pelas tuas palavras. abraço, João