terça-feira, 26 de março de 2013

PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)


“A perversidade é um dos impulsos primitivos do coração humano.” Edgar A. Poe


Mais uma semana com algumas leituras em simultâneo. E um regresso aos policiais. A este em particular até porque o ultimo lido de Robert Wilson, “O Ultimo Ato em Lisboa” me impressionou muito favoravelmente. Para quem não se lembra, a temática, histórica, passava pela exploração do volfrâmio português durante a Segunda Grande Guerra e um homicídio cometido décadas após que se completavam numa trama de suspense muito bem gizada e interessante. De todos os géneros sobre os quais vou escrevendo e sugerindo, o policial tem sido o mais presente nesta coluna, até porque se trata de um domínio da escrita que tem não só um universo de leitores muito dedicados mas que conta entre os autores com um cada vez maior número de criadores de muito bom nível. Robert Wilson, é britânico, mas tem uma singularidade, divide o seu tempo entre o seu país de origem e uma pequena quinta no Alentejo. Daí ser fácil de perceber todas as referências que faz à cultura portuguesa. Desde a gastronomia até à indicação de locais portugueses, passando pela inclusão de nomes de personagens com origem lusa. Como a verdade é que não temos entre nós grande comunidade de autores deste género é interessante também ler o que um autor como Robert Wilson consegue inserir do mundo português nos seus livros. Bem, mas o que verdadeiramente interessa, e é por isso que sugerimos este livro é o facto das histórias que Robert Wilson nos contam serem sempre carregadas de interesse e tensão. Este não é exceção a essa regra. Tem como habitualmente personagens bem construídas e uma trama que não é muito usual. Aqui a premissa é um rapto de uma jovem filha de um multimilionário indiano cuja contrapartida para a sua libertação é tudo menos evidente. Charles Boxer um negociador experiente é a quem cabe conduzir o processo contra um mundo cheio de personagens que habitam o lado negro da nossa sociedade. Um destes dias aqui voltarei para falar de outros livros de Robert Wilson e provavelmente os mais reconhecidos onde a personagem central é o inspetor Javier Falcón e de entre esses “O Cego de Sevilha” que li há já bastantes anos sem ter na altura ainda qualquer noção de quem era Robert Wilson, no panorama da escrita deste género. Gosto e recomendo, com a ressalva de sempre de que é uma sugestão para os amantes do género. E mesmo dentro do policial não ´o enredo típico. Espero que gostem. Boa Semana e Boas Leituras!!! J

Na Mesinha De Cabeceira:
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
A PIADA INFINITA de David Foster Wallace (Quetzal)
ARCO-IRIS DA GRAVIDADE  de Thomas Pynchon (Bertrand)
PELA ESTRADA FORA (O ROLO ORIGINAL) de Jack Kerouac (Relógio d´Água)
 A DIVINA COMÉDIA de Dante Alighieri (Quetzal)
A CONSCIÊNCIA E O ROMANCE de David Lodge (ASA)
UM HOMEM DE PARTES de David Lodge (ASA)

2 comentários:

Patrícia disse...

Olá Ricardo,
Gosto muito de Robert Wilson e também adorei o "O último acto em Lisboa" (e o "uma companhia de estranhos" que é simplesmente fantástico).
Tenho alguma curiosidade em ler este "Pena Capital" mas fui deixando para depois porque não gostei muito do 4º livro da série Javier Falcon. Adorei o primeiro, no entanto.
Boas leituras

Ricardo disse...

Olá Patrícia,

Só li "O Cego de Sevilha" da série Javier Falcón, e gostei bastante. Este é muito diferente, é um thriller moderno e tem partes melhores do que outras, mas como genéricamente gosto do que Robert Wilson escreve aconselhei.
Obrigado pela visita :)
Boas Leituras!!!