sexta-feira, 12 de outubro de 2012

MAZAGRAN de J. Rentes de Carvalho (QUETZAL)


"A diferença entre as recordações falsas e as verdadeiras é a mesma que existe entre as jóias: são sempre as falsas que parecem mais reais, mais brilhantes." Salvador Dalí


Novo livro de José Rentes de Carvalho. Excelente notícia para quem, como eu, espera ansiosamente cada nova publicação. Desta vez com um ingrediente adicional. O livro deu às livrarias no passado dia 4 de Outubro, estava eu na mais completa ignorância do facto. Como “groupie” devo de facto ser dos menos competentes. J .Ora o que se passa é que, leitor habitual e compulsivo do blogue de Rentes de Carvalho, “Tempo Contado”, era por aí, que normalmente sabia dos lançamentos de novas obras. Como infelizmente o autor resolveu fazer uma pausa nas publicações do blogue, fui apanhado de surpresa. E que surpresa. Não é que, no passado dia 4 de Outubro, que por superior coincidência foi também o dia do meu aniversário, e a minha querida comadre ultrapassou a minha indesculpável ignorância do lançamento, presenteando-me com o livro, fresquíssimo, a sair das livrarias? Amigos são estes, os que nos conhecem os gostos e antecipam vontades. Voltando à obra, só posso ser o mais redundante e repetitivo possível nesta matéria. José Rentes de Carvalho é um autor de leitura obrigatória. Junta nas doses certas a forma e o conteúdo. Não me cansarei de repetir o extraordinário talento que Rentes de Carvalho tem para escrutinar gentes e situações. Para onde nós olhamos e encontramos o banal, Rentes de Carvalho vê o extraordinário. Encontra a verdadeira essência do que nós somos e pomos nas mais diversas situações da vida. Num registo que procura sempre uma verdade de consciência, onde se nota sempre caracter e nunca indiferença, J. Rentes de Carvalho, está nos antípodas de uma enorme manada de gente que escreve, e, a quem espantosamente lhes publicam os livros. Que me desculpem se não concordarem, mas há de facto de entre aqueles a que chamo “autores portugueses vivos”, uma percentagem assinalável que complica o que escreve a pontos de já nada nos conseguir transmitir. É arte, argumentarão uns. E a arte não se explica nem tem que necessariamente conter uma mensagem. Já para mim, são apenas artistas. Escritores…isso é outro assunto. Obrigado Mestre Rentes, por mais umas horas de magnífica leitura. Não percam, que neste caso perdem mesmo muito….

…  Boa semana e … Melhores Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
REVER PORTUGAL de Jorge de Sena (Guimarães)

4 comentários:

C. disse...

Sinto muita curiosidade em relação a este autor. Posso perguntar qual o melhor livro para começar a conhecê-lo?
Boas Leituras

Ricardo disse...

Olá, antes de mais obrigado pela visita.
Na minha opinião "Ernestina" http://estanteacidental.blogspot.pt/2010/12/ernestina-de-j-rentes-de-carvalho_15.html
Ou então começar por ler as entradas no blogue "Tempo Contado" http://tempocontado.blogspot.pt/

Vale mesmo a pena,
Abraço

Ricardo

C. disse...


Vou tratar de colmatar a lacuna começando pelo blog e assim que possível deitar mãos aos livros.
Obrigada:)

Vespinha disse...

Acabei de ler. INdispensável, sem dúvida.