quarta-feira, 24 de outubro de 2012

PULP de Charles Bukowski (ALFAGUARA)


"O fim louva a vida e a noite o dia." Petrarca

Mais um presente de Amigos queridos, e neste caso fornecedores de grandes e boas sugestões de leitura também. Charles Bukowski é um autor incontornável do Século XX, e provavelmente um dos americanos mais conhecidos e influentes. No entanto, é também um caso em que o autor é ele próprio tão ou mais visível que a própria obra. É conhecida a carreira literária de Bukowski, mas neste como em alguns casos, a vida do autor determina bastante o resultado dos seus escritos. Charles Bukowski tem uma relação problemática com o álcool desde cedo, e vive sempre à margem dos meios literários, (d)escrevendo sempre a sociedade pelas suas margens. Este “Pulp” é o seu último romance, de uma obra literária que foi sempre de alguma forma assumidamente autobiográfica. Talvez conheçam melhor Bukowski pela sua obra poética, talvez a mais influente da América do Século XX, mas não deixarão com certeza de reconhecer outras, como é o caso de, por exemplo “Hollywood”, um livro que lhe foi pedido que escrevesse acerca de si para constituir um guião de um filme. O filme, como decerto muito reconhecerão é o “Barfly” de 1987, com Mickey Rourke e Faye Dunaway, onde Rourke interpreta o mais famoso alter ego de Bukowski, Henri Chinaski. Neste seu ultimo livro, Bukowski não deixa cair um registo de extrema mordacidade com a sua, nesta obra, personagem o detetive privado Nick Belane. A presença constante da sua cliente a Senhora Morte, a busca do “Pardal Vermelho” e a forma como termina o livro, podem de facto ter ou ser imensas leituras do carácter pessoal do autor e do drama pessoal que o afligia na altura da escrita. Mas, como aqui venho sistematicamente repetindo, melhor do que conhecer o autor e interpretar a obra à luz do que dele sabemos, é sempre mais gratificante e dá uma maior liberdade de fruição, se nos deitarmos à leitura sem ideias preconcebidas. E este livro, que tem um estilo muito próprio, e que, também se encaixa numa determinada linha de escrita policial, é muito bom e fácil de ler. Guardo mais Bukowski para um futuro próximo. Entretanto, não percam este. Vale a pena…  Boa semana e … Melhores Leituras! J

Na Mesinha De Cabeceira:
REVER PORTUGAL de Jorge de Sena (Guimarães)
UM APARTAMENTO EM ATENAS de Glenway Wescott (Relógio d´Agua)
VIVER PARA CONTÁ-LA de Gabriel Garcia Marquez (Dom Quixote)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
OS COMBOIOS VÃO PARA O PURGATÓRIO de Hernán Rivera Letelier (Ulisseia)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)



2 comentários:

Anónimo disse...

Também vale a pena ler "Correios", o livro do mesmo autor. Altamente recomendável.

Ricardo disse...

Obrigado pela visita e sugestão. Vai imediatamente para a lista de compras!