quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO de Steven Saylor (Bertrand)


“Viajar, num sentido profundo, é morrer. É deixar de ser manjerico à janela do seu quarto e desfazer-se em espanto, em desilusão, em saudade, em cansaço, em movimento, pelo mundo além.” Miguel Torga 


Deste autor e desta série penso que tenho tudo o que até agora foi publicado em Portugal. Steven Saylor é um académico que inventou uma forma muito interessante de nos fazer entrar na História. Para ser mais correto, não é apenas a forma, mas sobretudo uma interessantíssima personagem, que nos faz percorrer as mais extraordinárias etapas históricas da Roma imperial. Antes de entrar no livro propriamente dito há um pequeno mistério a resolver, facto do qual ainda não apurei o motivo, o certo é que, para uma dezena de livros que tenho deste autor e desta série a editora foi a Quetzal, sendo que neste há aqui uma possível “compra do passe” pela Bertrand. Detalhes. O que importa é que continuem a publicar estes livros absolutamente deliciosos. Para quem gosta do género policial histórico está aqui devidamente entregue. A personagem central é Gordiano O Descobridor, um cidadão romano que ganha a vida a resolver crimes e enigmas. Neste volume, Steven Saylor oferece-nos uma fantástica viagem que Gordiano empreende com a idade de dezassete anos, na companhia do celebérrimo poeta, Antípatro de Sídon. Propõe-se ambos visitar as Sete Maravilhas do Mundo numa viagem plena de descobertas. Gordiano, neste livro, para além de se ir tornando homem, em mais do que um aspeto, encontra em cada uma das paragens um enigma a que empresta as suas capacidades de observação e investigação. A história decorre desde Roma, de onde partem, passando pelo Templo de Ártemis em Éfeso, pelo Mausoléu de Halicarnasso, pela Estátua de Zeus em Olímpia, pelo Colosso de Rodes, pelas Muralhas e Jardins Suspensos da Babilónia e pela Grande Pirâmide do Egito. Em teoria estaria terminada a viagem, mas não. Gordiano vai terminar a sua jornada em Alexandria, no Farol. Assim, às Sete iniciais se acrescenta uma outra Maravilha do Mundo. E é aí que, para além de todas e cada uma das peripécias que se vão sucedendo na viagem, se revela um pano de fundo conspirativo que acompanha todo o livro. Todas as dúvidas e justificações históricas são ainda explicadas de forma absolutamente impecável numa nota final que o autor nos oferece. Termino dizendo que sou, desde o primeiro livro um cliente regular e que assim me manterei. Leitura bem-disposta, com um nível de conhecimento histórico e pormenor que é absolutamente hipnótico no ritmo que imprime à trama e nos obriga a ler os livros quase de uma vez só. Gosto muito. Aconselho. Se puderem, comecem pelos primeiros, que vão ver que depressa cá chegam. Boa semana e… Boas Leituras!!! J

Na Mesinha De Cabeceira:
PENA CAPITAL de Robert Wilson (D. Quixote)
ATÉ AO FIM 1944-1945 de Ian Kershaw (D. Quixote)
MIRAGEM DE AMOR COM BANDA DE MUSICA de Hernán Rivera Letelier(Quetzal)
A FABULA de William Faulkner (Casa das Letras)
A PIADA INFINITA de David Foster Wallace (Quetzal)
ARCO-IRIS DA GRAVIDADE  de Thomas Pynchon (Bertrand)
PELA ESTRADA FORA (O ROLO ORIGINAL) de Jack Kerouac (Relógio d´Água)
A LEBRE DE OLHOS DE ÂMBAR de Edmund de Waal (Sextante)
SE OS MORTOS NÃO RESSUSCITAM de Philip Kerr (Porto Editora)
A INFORMAÇÃO de Martins Amis (Quetzal) 


Sem comentários: